UNEAFRO lança campanha pela criação de Comitês Antirracistas, que estimularão o primeiro voto da juventude brasileira

De acordo com a Justiça Eleitoral, aproximadamente um milhão e duzentos mil jovens entre 15 e 18 anos já solicitaram a emissão do primeiro título. O número corresponde a quase totalidade de jovens que se alistaram para votar nas eleições de 2020 e sinaliza uma mudança na tendência de queda nos números de eleitores nessa faixa etária que vinha se registrando na última década. O prazo para se alistar se encerra no dia 4 de maio.

Nesse contexto, a UNEAFRO — organização com mais de 13 anos de atuação em lutas sociais e que agrega militantes da causa negra, da luta antirracista, antifascista, da causa das mulheres, da diversidade sexual e combate a todos os tipos de discriminação e preconceito — lança uma campanha pela criação de Comitês Antirracistas, que estimularão o primeiro voto da juventude brasileira: “Meu primeiro voto é antirracista” e “Meu voto antirracista contra a direita fascista”.

A campanha se inicia nessa terça (26/04), com a instalação de 25 comitês — número que deve dobrar com o aumento da temperatura eleitoral. Nos comitês, as pessoas poderão se reunir para debater a política nacional e as eleições 2022, a partir de um recorte racial dos temas. Nos locais, o público terá acesso a material impresso com informações sobre a campanha e a importância da eleição de candidaturas negras.

O historiador Douglas Belchior explica que o objetivo é que a campanha proporcione uma mobilização nacional que traga para a pauta eleitoral a questão do racismo, bem como a importância da eleição de candidaturas negras. Essa mobilização pode começar pela juventude, ou seja, pelo primeiro voto. “O eleitorado jovem pode fazer a diferença nesta eleição. Queremos mostrar a importância de votar com foco”, avalia Belchior.

As informações para participar ou criar um Comitê Antirracista estão no site da campanha.

Sobre a Uneafro Brasil

A Uneafro Brasil (União de Núcleos de Educação Popular para negros e classe Trabalhadora) é um movimento de cursinhos comunitários, de luta antirracista, antimachista, anti lgbtfóbica e de lutas por direitos sociais coletivos. É um movimento social e popular que tem no povo o verdadeiro protagonismo. Organizada em mais de 39 núcleos, em São Paulo e no Rio de Janeiro, a organização possui um trabalho educacional de base e de formação política direcionados às comunidades periféricas urbanas. Mais informações e formas de ajudar no site.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Required fields are marked *