Influenciadora digital e vice-campeã do BBB-21 chega para ser a estrela da marca, selar relação de longa data com Vult antes da fama e reforçar iniciativas sociais da marca em comunidades periféricas.

Camilla de Lucas é a nova parceira da marca Vult a partir de agora. A influenciadora digital, crescida em Nova Iguaçu (RJ), já começa essa união com a marca como estrela de uma nova campanha de Vult já a partir de julho.

“Vult quer ser a aliada das mulheres nas suas trajetórias de vida, de conquistas em questões sociais, de raça e de beleza que cada uma traz consigo. E a Camilla está neste momento, na sua melhor fase de vida, presente em universos que jamais imaginou estar. Porém, ela não esquece suas origens. E a maquiagem é uma ferramenta nessa reafirmação, de posicionamento e de celebração da beleza”, afirma Raquel Abdala, Gerente de Comunicação de Vult.

Desde 2020, Vult tem dado ênfase aos movimentos do novo cenário em que a mulher brasileira, principalmente, a mulher negra, está inserida. O objetivo tem sido aprofundar temáticas raciais e sociais presentes em nossa sociedade e principalmente, no dia a dia da mulher periférica brasileira, celebrando o orgulho e a trajetória de sucesso e conquistas dessas consumidoras da marca.

Além das campanhas e lançamentos de produtos, a marca também fortalece seus projetos sociais e parcerias de longa data como a que tem com a ONG Gerando Falcões, em que oferece cursos gratuitos de capacitação profissional de manicure e maquiador. Outra iniciativa da marca é o novo contrato firmado com o Digital Favela, um coletivo que reúne influenciadores digitais de favelas e comunidades de todo o Brasil para criação de conteúdos para redes sociais.

“Estou muito ansiosa para esse trabalho, venho há anos dando dicas para meu público sobre make e é um universo que amo demais! Acredito na Vult e na sua trajetória, sou cliente da marca há algum tempo, e estou aqui porque acredito nessa mensagem que queremos transmitir. Entendi o movimento da Vult em compreender a necessidade e a importância de querer falar com mulheres como eu. São pessoas que vieram da periferia, que conseguiram uma ascensão, e que hoje estão se realizando, seja na vida pessoal ou profissional”, diz Camilla de Lucas, o novo nome de Vult.

A Mynd, agência especializada em marketing de influência e entretenimento, cuida com exclusividade empresarialmente da Camilla de Lucas e de sua relação com marcas, sendo a responsável por unir a artista e a Vult.

Sobre a Vult

Vult Cosméticos é uma marca brasileira que nasceu em 2004. Está presente em mais de 35 mil pontos de vendas espalhados por todas as regiões do país e conta um portfólio completo de produtos para maquiagem, esmaltes, pincéis e acessórios. Antenada nas grandes tendências, Vult é uma das marcas líderes no mercado de beleza no Brasil com produtos desenvolvidos sob os melhores padrões de qualidade a preços acessíveis. Desde 2018, a Vult passou a integrar o portfólio de marcas consagradas do Grupo Boticário, um dos 10 maiores varejistas do Brasil.

Vult
@vult
vult.com.br
SAC:(11) 4736-8890
sac@vult.com.br

Agência Lema
Leandro Matulja/ Leticia Zioni
https://www.agencialema.com.br

Informações para a imprensa:
Natália Iponema – (+55 11) 98507-5650
natalia@agencialema.com.br

Foto Tânia Cai

EDIÇÃO INÉDITA DO PROGRAMA DA TV CULTURA SERÁ FOCADA NO RACISMO NO ESPORTE, NESTA SEXTA (11/6)


Estação Livre desta sexta-feira (11/6) recebe o ex-goleiro Aranha para falar sobre racismo no esporte. O programa inédito, apresentado por Cris Guterres, também aborda o preconceito dento do universo do futebol feminino. Para falar sobre o tema, a atração conta ainda com a presença de Adilson Moreira, que é doutor em Direito Constitucional. A atração vai ao ar a partir das 22h, na TV Cultura.

Mário Lúcio Duarte Costa, mais conhecido como Aranha, foi considerado o melhor goleiro do Campeonato Paulista em 2008, mas começou treinando em uma escolinha de futebol em sua cidade natal, Pouso Alegre, em Minas Gerais. No programa, ele comenta: “Eu praticamente deixei de ser goleiro para ser o jogador que foi chamado de macaco”.

Para falar sobre a discriminação racial nos diferentes esportes populares do Brasil, Cris Guterres conversa com o professor Adilson Moreira, doutor em Direito Constitucional, que conta com um histórico acadêmico que sempre foi voltado para a garantia dos Direitos Humanos e estudos antidiscriminatórios. Para Adilson, “o objetivo fundamental da narrativa da democracia racial é impedir o estabelecimento de qualquer tipo de conexão entre a opressão negra e o privilégio branco”.

Reportagens

A primeira reportagem do programa fala sobre Rogério Clementinoprimeiro negro a integrar uma equipe brasileira de hipismo e participar no Adestramento na história das Olimpíadas.

Estação Livre segue para os esportes aquáticos e conta a história de Edvaldo Valério e de Etiene MedeirosEdvaldo, um garoto que cresceu na periferia da capital baiana e foi o primeiro homem negro a ganhar uma medalha da natação brasileira nos Jogos Olímpicos. E Etiene, que começou a nadar para anemizar a asma e que atualmente é recordista mundial dos 50 metros costas em piscina curta tendo alcançado o triunfo em Doha 2014.

Sobre o preparamento físico dos atletas, o fisioterapeuta da equipe profissional de basquete do Corinthians Rafael Garcia conta sobre a sua atuação na área.

A edição também faz uma reflexão sobre o racismo no futebol feminino. Uma reportagem com Jordana Araújo, que é comentarista da FPF TV e CBF TV, e Alia Santana, que já conquistou dois campeonatos baianos junto ao seu time São Francisco do Conde-BA, jogam uma luz nesse tema.

Para finalizar, o público conhece Marcelo Carvalho, ele é jornalista, escritor e fundador do Observatório da Discriminação Racial no Futebol.

Vibria MAXX é uma plataforma de ultrassom associada a correntes terapêuticas que promete revolucionar os tratamentos corporais e faciais no Brasil 

Arquivo pessoal

A gordura localizada é uma das reclamações mais frequentes entre as pessoas que buscam por procedimentos estéticos. De acordo com dados do Google Trends de 2020, as pesquisas sobre “como eliminar gordura abdominal” e “como perder culotes” cresceu 350% e 200%, respectivamente. Uma novidade que acaba de ser lançada pela HTM Eletrônica – empresa referência na fabricação de equipamentos estéticos com tecnologia 100% nacional, o Vibria MAXX, uma plataforma que permite que esses e outros procedimentos possam ser realizados em menos tempo e com mais efetividade. 

Segundo Aline Caniçais, especialista dermato funcional da HTM Eletrônica, o equipamento une tecnologias que são capazes de tratar a gordura localizada em diversas regiões do corpo como barriga, flancos ou culotes. “A plataforma também viabiliza outros procedimentos como melhora da celulite e retenção hídrica, rejuvenescimento e estrias, permeação cutânea de ativos que potencializam o tratamento, reabilitação e eletromassagem, drenagem eletrônica, cicatrização pós operatória, além de também auxiliar no fortalecimento muscular (flacidez muscular)”, completa.

Com tecnologia avançada, o Vibria Maxx utiliza o Modo Duo que possibilita o tratamento de duas ou mais áreas corporais ao mesmo tempo. Por exemplo, tratar gordura localizada e fortalecer abdômen (terapia combinada) e ao mesmo tempo tratar celulite da coxa (com uso de outros acessórios). Ou seja, de maneira realmente independente, o VIBRIA MAXX trata várias áreas ao mesmo tempo, garantindo facilidade no atendimento e resultados mais rápidos e efetivos. A plataforma conta com mais de  100 protocolos pré-programados, pensando nisso a especialista indicou três tratamentos que podem ser realizados com o Vibria Maxx. 

Confira abaixo:

Quebra de gordura localizada 

“Uma das técnicas mais eficazes e específicas para tratamento da gordura localizada é o uso de um tipo de ultrassom que utiliza a frequência de energia de 40kHz – suficiente para causar a percepção durante a aplicação – “comenta a especialista. Com a tecnologia do Vibria Maxx, esse ultrassom realiza a cavitação instável, direcionada para a célula de gordura, promovendo a lesão dessa célula. Dessa forma, a gordura é danificada e eliminada. Os resultados podem ser observados já na primeira sessão.

Rejuvenescimento facial

O Vibria Maxx dispõe de um  aplicador facial de 5 MHz. “O equipamento consegue concentrar a nível dérmico a energia ultrassônica, gerando estímulo para que a célula que produz colágeno e elastina comece a produzir essas fibras”, afirma. O processo permite tratamentos como rejuvenescimento, redução de flacidez de pele e rugas, eliminação de manchas, cicatrização pós operatória, de forma simples e efetiva. “Além disso, o aplicador disponibiliza de fácil manuseio ajuda atingir toda a região facial”, explica.

Tratamentos corporais

Fortalecimento muscular, eletromassagem e drenagem eletrônica, esses são alguns dos tratamentos que podem ser realizados por meio de correntes terapêuticas. O Vibria Maxx possui 8 canais e possibilita até 16 eletrodos no mesmo procedimento e podem ser feitos tanto com agulhas ou sem. 

Crédito: Imagem divulgação
https://htmeletronica.com.br/produtos/vibria/  

Média de preço do equipamento

R$ 17.775,50


Sobre a HTM Eletrônica

A HTM Eletrônica (https://htmeletronica.com.br/) é uma indústria referência no desenvolvimento e fabricação de equipamentos dirigidos ao segmento de estética e fisioterapia no Brasil. A empresa foi fundada em 1999 e tem como embaixadora a atriz Paolla Oliveira. Com equipe multidisciplinar altamente capacitada, a HTM está localizada em Amparo – SP e tem como foco profissionais da área da estética e reabilitação que tem interesse em tecnologia para clínicas.

Nova edição da série Classes Abertas vai promover diálogo entre Brasil e Portugal, a partir de iniciativas de combate à desigualdade educacional

Encontro virtual será no próximo dia 8, no YouTube do Canal Futura

Katia Smole (diretora do Instituto Reúna)

Em torno de 680 mil jovens de 15 a 17 anos (7,1%) estavam fora da escola sem ter concluído a educação básica, em 2019, de acordo com o IBGE. Em 2020, em pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, 10,8% dos estudantes do Ensino Médio informaram ter abandonado os estudos. Quais os caminhos para manter o vínculo dos estudantes com as escolas? Que iniciativas existentes apresentam bons resultados no enfrentamento ao abandono e à evasão escolar?

A desigualdade educacional e as estratégias para combater a evasão escolar – um desafio histórico que vem se agravando no contexto de pandemia – serão tema da nova edição do encontro virtual Classes Abertas, no próximo dia 8, no YouTube do Canal Futura. Gratuito e aberto ao público, o debate deste mês propõe um diálogo entre as experiências do Brasil e de Portugal.

Fátima Gavioli (secretária de Educação de Goiás)

Com o tema “Evasão escolar: Jovens de volta à escola”, o encontro recebe Pedro Cunha, diretor do Programa Gulbenkian Conhecimento, da Fundação Calouste Gulbenkian de Portugal – com experiência em políticas públicas, foi subdiretor-geral da Educação em Portugal, responsável por programas nacionais de inovação e promoção da inclusão e do sucesso escolar – e a secretária de Educação de Goiás, Fátima Gavioli, que já comandou a secretaria de Educação de Rondônia e é especialista em gestão escolar. A mediação é da diretora do Instituto Reúna, Katia Smole, ex-secretária de Educação Básica no Ministério da Educação (MEC).

Iniciativa da Fundação Roberto Marinho, a série Classes Abertas – lançada no Dia da Educação, em abril – promoverá encontros virtuais mensais, com base na agenda da educação e os desafios contemporâneos, trazendo temas voltados especialmente para professores, estudantes e suas interfaces com profissionais do campo da comunicação, das artes, da cultura digital e dos direitos humanos, além do público em geral.

 Pedro Cunha (diretor do Programa Gulbenkian Conhecimento, da Fundação Calouste Gulbenkian)

CLASSES ABERTAS
Evasão Escolar: Jovens de volta à escola
Dia 8 de junho, às 18h
Em youtube.com/ canalfutura

No segundo encontro da série “Classes Abertas”, Pedro Cunha (diretor do Programa Gulbenkian Conhecimento, da Fundação Calouste Gulbenkian) e Fátima Gavioli (secretária de Educação de Goiás) debatem estratégias de combate à evasão escolar, com mediação de Katia Smole (diretora do Instituto Reúna).

Sobre o Futura
O Futura é uma realização da Fundação Roberto Marinho e resultado da parceria entre organizações da iniciava privada, unidas pelo compromisso de investir socialmente e líderes em seus segmentos: SESI – DN / SENAI – DN, FIESP / SESI – SP / SENAI – SP, Fundação Bradesco, Itaú Social, Globo e Sebrae. O Futura pode ser assistido gratuitamente, a qualquer hora e em qualquer lugar, nos Canais Globo e Globoplay.

COM APRESENTAÇÃO DE ADRIANA COUTO E CUNHA JR., PROGRAMA VAI AO AR ÀS 19H20, NA TV CULTURA

Foto: Mariana Carvalho

Nesta sexta-feira (4/6), o Metrópolis entrevista o escritor Itamar Vieira Junior, autor do best seller Torto Arado, e o ator e humorista Leandro Hassum. O programa ainda leva ao ar uma reportagem sobre a exposição Enciclopédia Negra Brasileira. Apresentado por Adriana Couto e Cunha Jr., vai ao ar às 19h20 na TV Cultura.

Torto Arado é uma obra que já é definida como clássica da literatura contemporânea, ganhou os principais prêmios literários do país e pautou as redes sociais para discussões que pareciam que pertenciam a 1800, mas que se provaram muito atuais. E o que fazer após lançar uma obra tão significativa? A conversa com Itamar Vieira Junior se propõe a entender esse lado de ser um autor best seller e conhecer seu novo livro de contos, Doramar Ou A Odisseia, que explora um conjunto de histórias calcadas na multiplicidade de culturas que formam o país.

Nesta semana, o dossiê PúblicoXCrítica foca na diferença entre a aprovação do público e a aprovação da crítica quando se trata de uma obra artística. Para falar sobre o assunto, Adriana Couto conversa com Leandro Hassum. O artista, que é um símbolo para a comédia brasileira, diz como os comentários da crítica e do público impactam a sua vida, quais as diferenças entre as opiniões, qual seria mais importante em sua carreira e como ambos impactam a sua vida.

Por fim, o Metrópolis leva ao ar uma reportagem sobre a exposição Enciclopédia Negra Brasileira que, pela primeira vez, torna pública 103 obras realizadas por artistas contemporâneos para um livro homônimo de autoria dos pesquisadores, Flávio Gomes e Lilia M. Schwarcz.

Realização: Fundação Padre Anchieta, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal – Lei de Incentivo à Cultura

Fonte: cultura.uol.com.br
imprensa@tvcultura.com.br
Tel: 2182-3543 | 2182-3662