Moramos no Guara e por aqui os restaurantes de comida chinesa, brasileira e japonesa está de promoção. O escolhido da vez foi o Hashi Brasil. Ele fica no Guara I, na Qi 7 próximo do Mc’Donalds do Guara.
Os pratos são variados, com poucas opções de sushi, comida chinesa do conta com alguns dos principais pratos e a maioria dos pratos são de comidas brasileira mesmo.
O valor durante a semana por pessoa é de R$14,90 e nos finais de semana e feriado fica R$16,90 por pessoa, a vontade!

Vale a pena pelo valor em si… mais se você é um amante da comidas orientais talvez não seja tão interessante.






Evento gratuito que terá início nesta quarta-feira promete aguçar a curiosidade das crianças e incentivá-las a usar cada vez mais a criatividade

 

A Casa Lego, evento de férias do Conjunto Nacional, entra em funcionamento nesta quarta-feira, dia 03 de julho, na Praça Central, no Piso Térreo, e colocará em evidência a imaginação, a diversão, a criatividade e o aprendizado. A atração é gratuita e ficará disponível durante todo o mês de julho, até o dia 31. Para participar, basta emitir o voucher no aplicativo do shopping, disponível para download em celulares iOS e Android, e apresentar no balcão do evento. Não é necessário imprimir o voucher. O regulamento completo está disponível na plataforma e no site do Conjunto Nacional.

O evento chega com a tradição que diverte gerações há mais de 80 anos em torno de brincadeiras de blocos que ainda hoje são sucesso em todo o mundo, ao associar imaginação, desafios e interatividade. As atividades foram desenvolvidas especialmente para crianças de 18 meses a 12 anos de idade e estão divididas em espaços temáticos e coloridos. “Sinônimo de versatilidade, brincar com Lego é ter a liberdade de construir tudo que sua imaginação permitir, como prédios, animais, princesas, castelos, super-heróis e muito mais. Trouxemos a Casa Lego para nossos pequenos clientes pois adoramos uma nova brincadeira que aguça a criatividade”, disse Cláudia Durães, gerente de Marketing do Conjunto Nacional.

Para as crianças menores, com até três anos de idade, o roteiro de diversão tem início no Espaço Kids, que traz uma piscina de peças de Lego Duplo de diversas cores. Seguindo o conceito de uma piscina de bolinhas, além de aprender novas cores, as crianças poderão fazer suas construções de Lego ali mesmo, pois encontrarão bases para a montagem das peças nas laterais da piscina. Com capacidade para quatro participantes simultaneamente, a brincadeira terá duração de até 20 minutos e os participantes deverão estar acompanhados por um responsável.

Já as crianças a partir de quatro anos poderão optar entre três diferentes brincadeiras. No Espaço Central Park elas serão acomodadas em mesas de piquenique e incentivadas a construir peças para o jardim, enquanto o Mini Zoo dará vida aos animais mais admirados do zoológico como girafas, macacos, pássaros ou zebras. Valorizando a criatividade, após a construção, as peças ficarão expostas dentro do espaço. E, para aqueles que adoram superar seus limites, o Espaço Desafios oferece monitores para orientar as crianças a trabalharem em equipe na construção pontes e torres. Vence o grupo que construir a ponte mais resistente ou a torre mais alta.

Para convidar os clientes a participarem do evento, os corredores do shopping vão exibir cinco incríveis esculturas numa representação à versatilidade de Lego e à liberdade de construir tudo que a imaginação permitir. “Será uma oportunidade muito legal para as famílias fotografarem e para compartilhar nas redes sociais”, contou Cláudia.

 

Serviço: Casa Lego Conjunto Nacional

Data: De 03 a 31 de julho

Hora: De segunda-feira a sábado, das 12h às 20h, e aos domingos, das 14h às 20h

Local: Shopping Conjunto Nacional, Praça Central – Piso Térreo

Mecânica: Para participar, basta emitir o voucher por meio do aplicativo do Conjunto Nacional. Após a participação em uma oficina, a criança que optar por participar novamente deverá fazer nova inscrição.

Entrada gratuita

— 

Que as tranças rasta ou como as gringas falam “box brainds” é uma mão na roda, ou na praticidade melhor dizendo ninguém discorda.

Eu poderia enumerar varias coisas da hora que as trancas proporciona, tais como:

-praticidade

-estilosas

-fotos maravilhosas garantidas

-ajuda a passar pela transição suave

E por ai vai…

O que ninguém te  conta são os “problemas” que esta incluso em todos esses benefícios… e foi sobre isso que falei nesse vídeo, rapidinho e de boas.

Vão lá, curtam, comentam e me fala a sua opinião.

Estamos em campanha ai, rumo aos 10k do Canal, então não esqueçam de se inscrever e ativar as notificações porque este mês teremos muitos videos da hora por lá.

Minha nada normal família…

Se tem um trem que eu amo nesse mundo é a minha família.

Não moramos em casas grandes e chiks, não temos muito conforto, mais temos algo que muitos passam a vida tentando conquistar e nunca vai ter: AMOR.

Espero que vocês gostem desse vlog.

*Daniel Toledo
No ano passado, várias notícias de que, não a imigração propriamente dita, 
mas os órgãos ligados a este departamento, fiscalizaria as redes sociais do solicitante ao 
visto americano vieram à tona. Muito se falou sobre o assunto, gerando inclusive uma polemica 
desnecessária, sem falar no exagero.
Mas esse burburinho aflige principalmente quem vai solicitar algum visto mais básico como 
o de turismo ou de estudante. Alguns consulados solicitam que as pessoas forneçam quais são
 as suas redes sociais, e não login e senha como muitos estão espalhando por aí. 
Caso encontrem o perfil, sem que o solicitante tenha informado, é caracterizado como 
mentira na aplicação de visto, que como consequência será negado.
Como punição, o pretendente é impedido, por um determinado tempo, de requisitar qualquer 
outra permissão para entrar legalmente nos Estados Unidos. Pense nisso e tome um pouco de 
cuidado.
É proibido você seguir alguém que more nos Estados Unidos ou siga algum canal no
 YouTube com dicas sobre o assunto? Ou alguma rede social, seja facebook, instagram de 
alguém que esteja dentro dos EUA? Claro que não. É proibido você ter no seu whatsapp 
conversas com alguém que more nos EUA, parente, amigo, quem quer que seja? Também não.
 O problema é omitir e mentir quando solicitar o visto ou for entrar no país. Na entrada, o 
oficial têm pedido para as pessoas colocarem a digital nos celulares e acessarem as redes 
sociais. Ele pede para ligar o telefone e desbloquear, na sequência, ocorre a checagem dos perfis. E isso tem ocorrido muito.
Mas é bom lembrar que seguir alguém em suas redes sociais que incentive a imigração ilegal, 
que ofereça trabalho também ilegal, ou que faça headhunting enquanto você está dentro
 dos Estados Unidos com visto de turismo passeando pela Disney, por exemplo, pode causar 
sérios problemas porque isso é mentira e pode ser caracterizado como crime. Afinal, você 
declarou no consulado que iria a passeio, mas na verdade a intenção da viagem é se candidatar 
ou aplicar para uma situação de emprego.
É isso que eles estão buscando. Redes sociais ou indícios que caracterizem uma segunda 
intenção diversa daquela que você está efetivamente informando para as autoridades
 americanas. Seria uma hipocrisia muito grande se eu dissesse para ter cuidado com as suas 
redes. Simplesmente livre-se do que não presta, não antes de aplicar o visto, mas desde 
sempre. Se você pretende entrar na casa de alguém, chegue com os pés limpos, deixe 
transparente para quais são as suas verdadeiras intenções. ” Quero trabalhar nos Estados
 Unidos”, “Quero estudar” ou “Quero morar nos EUA, trazer a minha família, eu não preciso fazer
 nada, eu tenho renda de outros lugares, quero vir pra cá, ficar uns três ou quatro meses, depois
 eu volto para o meu país”. Há algum problema nisso? De forma alguma, desde que você não
 trabalhe, não procure emprego, não faça nenhuma atividade remunerada e seja compatível com 
o visto solicitado.
Há uma fiscalização muito maior e até mais rígida do que antes, principalmente por uma
 questão de segurança, porque é preciso identificar quem está mal-intencionado e que pode
 praticar outros atos ilegais. Por isso, toda checagem desde a aplicação do visto até a hora que
 a pessoa chega nos EUA é detalha e completa.

*Daniel Toledo é Advogado especializado em direito internacional, consultor de negócios, 
sócio fundador da Loyalty Miami e da Toledo e Advogados Associados.
 Para mais informações, acesse:www.toledoeassociados.com.br ou entre em 
contato por e-mail daniel@toledoeassociados.com.br . Toledo também possui um canal no 
YouTube com mais de 62 mil seguidores www.youtube.com/loyaltymiami com dicas para quem 
deseja morar, trabalhar ou empreender nos Estados Unidos. A empresa também possui sede
 em Portugal, Espanha, Lond res e, em breve, em São Paulo.
Cerimônia realizada ontem, em Roma, premiou a iniciativa financiada pelo Fundo Amazônia, cuja continuidade está ameaçada
 O Origens Brasil® é uma rede de articulação multissetorial (produtores, empresas, e consumidores), concebida pelo IMAFLORA e Instituto Socioambiental (ISA), que visa mudar a forma convencional de se fazer negócios com produtos da sociobiodiversidade estimulando negócios mais éticos e transparentes, acaba de ganhar o Prêmio Internacional de Inovação para a Alimentação e Agricultura Sustentáveis da ONU – Organizações das Nações Unidas. O objetivo do prêmio é reconhecer inovações no mundo capazes de contribuir para a transformação dos sistemas alimentares, reduzir a fome no mundo, e para a segurança alimentar da agricultura familiar.

Créditos: ©FAO/Giuseppe Carotenuto
A cerimônia foi realizada ontem, 26 de junho, durante a 41ª Conferência da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), na cidade de Roma, na Itália, sede da organização. A FAO vê a inovação como uma força motriz fundamental para um mundo livre de fome e de desnutrição, onde a agricultura e a alimentação possam contribuir para a redução da pobreza de maneira econômica, social e ambientalmente sustentável. A inovação é um conceito que tende a estar diretamente relacionado à tecnologia e também um processo no qual as instituições colocam em uso produtos, processos ou formas de organização para aumentar a eficiência, a competitividade e a resiliência, a fim de resolver um problema.
“Esse Prêmio concedido pela FAO tem um significado muito especial e é um reconhecimento importantíssimo para os povos da floresta e para a valorização da economia de baixo carbono, principalmente considerando o momento atual que o Brasil está passando, de fortes ameaças às políticas socioambientais já conquistadas”, declara Patrícia Cota Gomes, coordenadora da iniciativa no IMAFLORA, durante a cerimônia.
Contribuindo com o esforço mundial para alcançar Fome Zero, o Origens Brasil é co-vencedor, juntamente com a Practical Action Bangladesh, na Categoria A do Prêmio Inovação para a Agricultura e Alimentação Sustentável. O Prêmio é financiado pelo Governo Federal da Suíça e direcionado para inovações relacionadas à agricultura e sistemas pastoris, de acordo com o requisitos e competências técnicas do doador.
O Origens Brasil completou três anos em 2019, atuando com mais de 1.500 produtores de 34 diferentes etnias, 40 organizações locais e comunidades, 14 empresas, mais de 40 diferentes produtos e ingredientes e opera em 36 áreas protegidas, trabalhando em rede para promover uma economia mais descarbonizada e que mantém as florestas de pé. Parcerias com grandes empresas como Wickbold, Mercur, Pão de Açúcar e Lush constroem relações comerciais diferenciadas com os povos da floresta, com origem, transparência e ética, contribuindo para a valorização dos povos, da sua cultura e de seus territórios.
Créditos: ©FAO/Giuseppe Carotenuto
Atualmente o Origem Brasil® é 100% financiado pelo Fundo Amazônia, um importante fundo de conservação da Amazônia, que tem permitido escalonar iniciativas como estas que conseguem conciliar a produção com a preservação, mas que estão seriamente ameaçados de continuidade em função dessas políticas atuais. A Associação Indígena Khisêtje e a ATIX – Associação Terra Indígena do Xingu, também premiadas pela ONU também recebem aporte financeiro do Fundo Amazônia. O Brasil abriga a maior biodiversidade do planeta, contando com mais de 20% do total de espécies conhecidas na Terra. Esse percentual garante ao país o posto de principal nação entre os 17 países com maior índice de biodiversidade (Fonte: Ministério do Meio Amb iente).
“A continuidade do Fundo Amazônia, contribuindo com recursos que viabilizem ações para a manutenção da floresta em pé e valorização das populações tradicionais e povos indígenas, é essencial para fazer emergir e escalonar inovações como essas que sejam capazes de contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS) do milênio e reconhecer o importante papel desses povos como guardiões históricos destas florestas, patrimônio de toda a humanidade”, finaliza Patrícia.

Premiações Origens Brasil® e Organizações Parceiras

A primeira premiação do Origens Brasil® ocorreu em 2018 ao ganhar o Climate Ventures, na categoria “Destaque em Melhores Negócios para o Clima”, que reconheceu iniciativas que contribuem com soluções de impacto socioambiental e concorreu com mais de 370 inscrições. Esse prêmio foi importante para o reconhecimento dos negócios da floresta, principalmente aqueles manejados por populações tradicionais, quilombolas e povos indígenas, que conseguem demonstrar ser possível conciliar a produção com a conservação, contribuindo para uma nova economia, mais inclusiva e de baixo carbono. Em março deste ano o Origens Brasil também ficou entre os 100 finalistas, e os 10 melhores do Prêmio Katerva, considerado o nobel da sust entabilidade, na categoria “Mudança de Comportamento”.
Outras organizações comunitárias que fazem parte da rede também foram premiadas com a produção de óleo de pequi da Associação Indígena Khisêtje, do Parque Indígena do Xingu, e o trabalho com o mel feito pela ATIX – Associação Terra Indígena do Xingu. O óleo de pequi foi um dos vencedores do Prêmio Equatorial 2019, concedido pela ONU a cada dois anos para “Soluções Locais e Indígenas de Desenvolvimento Sustentável”. Já o trabalho com o mel ganhou este mesmo prêmio, mas em 2017, sendo escolhido entre 800 organizações de 120 países.
Créditos: ©FAO/Giuseppe Carotenuto
Créditos: ©FAO/Giuseppe Carotenuto
Créditos: ©FAO/Giuseppe Carotenuto
Sobre o Origens Brasil®

O Origens Brasil® é uma rede de multissetorial (formada por populações tradicionais, povos indígenas, organizações da sociedade civil, empresas e consumidores), articulada e lançada em 2016 pelo Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (IMAFLORA) e Instituto Socioambiental (ISA), e que defende caminhos para o desenvolvimento sustentável da Amazônia a partir da valorização das atividades econômicas das populações tradicionais e povos indígenas, suas culturas e modo de vida. Os pilares do Origens Brasil® são a articulação em rede, tecnologia e comunicação – aproximando o produtor de empresas e do mercado consumidor, promovendo relações comerciais com menos intermediários, mais transparentes e éticas. Busca estabelecer uma rede multissetori al com os produtores, empresas e consumidores para mudar a forma convencional de se fazer negócios, aliando produção com a conservação e valorizando o patrimônio socioambiental.(www.origensbrasil.org.br)


Sobre o Fundo Amazônia

O Fundo Amazônia capta recursos para serem utilizados em projetos de combate ao desmatamento e de promoção da conservação e uso sustentável no bioma amazônico. O Fundo é gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, que também se incumbe da captação de recursos, da contratação e do monitoramento dos projetos e ações apoiados. O Fundo Amazônia conta com um Comitê Orientador – COFA, com a atribuição de determinar suas diretrizes e acompanhar os resultados obtidos; e com um Comitê Técnico – CTFA, nomeado pelo Ministério do Meio Ambiente, cujo papel é atestar as emissões oriundas de desmatamentos na Amazônia. (www.fundoamazonia.gov.br)